Amigas que me visitam !!

sexta-feira, 17 de julho de 2009

- Pano de Tabuleiro ou Toalha de Bandeja

Mais um trabalho terminado!!!!
Acho que ficou um pouco carregado demais!!!!
Tem tantas técnicas....
A começar pela técnica do começo perfeito para o início do crochet.
O próprio crochet!!!
As bainhas abertas!
e Por último:
o ramo bordado
em
ponto grilhão antigo,
ponto de recorte
ponto pé de flor,
ponto folha
ponto nó francês
e ponto atrás.....
será que não esqueci de nada????
Acho que ficou cheio demais,
mas agora já está pronto e é assim que vai ficar.....
Gostei, em especial, de bordar o ramo, utilizando linha mouliné.
Para as folhas o nº 1215 - verde matizado da Anchor,
para a flor o nº 1305 - laranja matizado da Anchor,
para o miolo da flor o 741 - laranja forte da DMC,
para os caules o nº 831 - verde acastanhado da DMC.
Não comprei linhas especialmente para este bordado..
usei as que tinha em casa......
Gosto de utilizar as matizadas, pois criam um efeito natural às flores e folhas,
pelo menos penso eu que sim....
o ramo


detalhe das folhas


outra vez as folhas



o canto do crochet

o canto da bainha aberta


o ramo em outra perspectiva


a bainha aberta



a flor com flash

o crochet

a toalha de bandeja ou pano de tabuleiro


detalhes

mais detalhes onde se vê todos os pontos utilizados


a folha com a linha matizada

8 comentários:

Elisete disse...

Obrigada Maria Filomena pela visita, volte sempre, é bemvinda.
Também estou com problemas para postar, acho que estão fazendo manutenção daí fica desse jeito. Mas logo estará normal de novo.
Maravilhoso trabalho, adorei a bainha aberta.
Beijos

Marcia disse...

Filomena, eu não gostei não....
Simplismente ADOREI, lindo...lindo...
Parabéns pelo trabalho...tns ma~so de fada.

Bjs

Lourdes disse...

Amiga Filomena, o seu pano de tabuleiro ficou muito bonito. Também gosto bastante das linhas matizadas, pois dão um colorido diferente às peças que bordamos.
Beijinhos

helena disse...

Vamos lá ver se é desta vez que consigo postar uma mensagem para dar os parabéns bem merecidos pelos trabalhos publicados. Bom domingo.

Carla disse...

Filomena, muito, muito, muitos parabéns! Uau! A toalha pode ter dado muito trabalho, mas ficou simplesmente divina! Não há nada que se possa dizer que com um pouco mais disto ou daquilo, que um que diferente do que está ficasse melhor. Não, não! Está simplesmente perfeita, para lá de divina! Adorei os pontos e a junção delicada dos trabalhos em uma só peça. Deve ter levado, realmente, muito tempo para ser finalizada, mas o resultado foi tão deslumbrante que, amiga, creia, valeu cada minutinho que você dedicou a ela. Estou verdadeiramente impressionada pela beleza da peça.

Estive olhando as outras postagens, já que perco muitas por minhas ausências sazonais à net, graças ao trabalho. Você é muito chique mesmo de ter trabalhos publicados na Mãos de Fada! Uau! Mas, vendo a qualidade e a perfeição de tudo o que você faz (com a toalhinha da postagem mais recente no cimo, faço questão de dizer), nem era para eu me surpreender tanto...

Guardei o endereço do Garnstudio. Nunca se sabe. Estou muito iniciante no crochê, mas ter as receitas traduzidas, oba, sempre ajuda muito. Obrigada pela dica valiosa.

Amei o alfineteiro de corchê. Está lindo! A primeira foto, sobretudo, ficou muito linda, delicada. O detalhe das miçanguinhas no miolo da flor deu graça e brilho ao trabalhinho. Parabéns pela ideia.

Os pêssegos cultivados pelo seu marido... ah! Abriram-me o apetite. Mas, no Brasil, você talvez se lembre, não se acham bons pêssegos, ou raramente. No Sul até sim. Mas no Sudeste é uma caçada ao javali encontrarem-se frutas bonitas assim, sumarentas, deliciosas como essas parecem. Transmita, por favor, a seu marido, meus parabéns pela colheita apetitosa. E, mais uma vez, parabéns a você pelas lindíssimas fotos dos pessegueiros. Parecem coisa de revista!

Adoro cachorros (cães... hahaha). Amo-os de paixão verdadeira e minha vida sempre foi pontilhada por essas presencinhas peludas e alegres. Hoje em dia, tenho dois, a Anne, uma yorkshire terrier, e o Frank, um daschund todo pintadinho de olhos azuis. São minha alegria. Faço votos que o fofo do Piloto (adorei esse nome!) também traga mais felicidade ainda para a vida de vocês e que a Tareca e as Tarequinhas façam amizade com ele. O Piloto me parece um bom cachorrinho, gentil. A foto (de nooovo) está linda e traduz a inocência de filhote que ele tem. Infelizmente, não lhe sei dizer a raça do novo membro da sua família. Mas o mais importante já está instituído: ele é lindo e lhes levará muita alegria!

O que você falou sobre cachorros serem os filhotes dos cães também acontece em espanhol. Lá, dizem-se "perros" para os cães e "cachorros" para os filhotes. A ração que meus queridos comem é importada e lá está na embalagem as instruções (como se fossem necessárias!) em várias línguas. Em um dos pacotes para o Frank (que está no fim da filhotice), lá está escrito que é para "cachorros de perros". hahahaha! Achei uma graça fabulosa! Aqui no Brasil, você se lembra, pelo modo como escreveu, cachorros e cães dão na mesma. Ai, os caprichos das línguas...!

isabel tiago disse...

Boa tarde Filomena

Como sempre aqui está um trabalho muito requintado e perfeito. Parabéns. Eu também gostave de aprender a bordar alguns desses pontos. Outros sei e baínhas abertas é um projecto que tenho adiado há dois anos. Vamos ver se é este ano.
Como define começo perfeito no remate em crochet? Será possível explicar?
Reparei que tem uma nota sobre s comentários. Não sei se tem conhecimento ou se prefere tê-los assim, mas existe uma forma de receber os comentários que é a moderação, quer dizer, que se utilizar esta via, recebe uma mensagem de todos eles no seu mail e aí podeá fácilmente ver quantos e quais são os posts onde foram feitos.É muito prático e funcional. Isto é, terá que ser a Filomena e decidir se quer ou não publicar esse comentário.

EDNA R F FERREIRA disse...

olá FELOMENA,adorei seus trabalhos manuais, essas linhas matisadas da um charme legal a peça parabens,o biquinho em croche deu um toque final...belissimo...

SALA DE COSTURA disse...

Olá Filomena!

Estou pesquisando sobre a história desta arte de bordar bainha aberta e pergunto a você se teria um pouquinho dessa história para nos contar e se eu pudesse postar em meu blog.

Adoraria saber como começou, quanto, o que for possível.

Obrigada,
Lúcia.